Pesquisar este blog

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

IMPROVISO - VER E NÃO RECEBER


IMPROVISO: VER E NÃO RECEBER

OS melhores momentos de uma vida.
Penso, existo?! 
Imagino, faço?!
Acredito, consigo?!

Amanhã, colhendo uma pequena retribuição.
Aparentemente de uma tristeza sem fim.

Uma semana de vãos livres. Uma semana concretamente vazia, 
nuvens cinzas, eu aparentemente sozinha.
Nem mais e nem menos, 
apenas um credo.

Creio em Deus,
acima de todas as coisas.
Sobre tudo.

Não me safo das dores,
nem das tristezas,
encaro mesmo,
resíduos,
obstáculos,
sequer coloco um saldo.

A verdade, vejo, reparo, sustento.
Mas, não adianta.

Não adianta muito.
Quem sabe um dia.
Um dia com cores vibrantes,
sorrisos edificantes,
gestos fraternos,
sinceridade.

Um sorriso franco,
sincero,
um pouco de ternura.
Só isso.

Denise França - 12 de setembro de 2011.


quinta-feira, 1 de setembro de 2011

IMPROVISO - O BEIJO

IMPROVISO: O BEIJO

... O BEIJO QUE EU NÃO TE DEI.

... Ardente, caliente, louco, apaixonado, estonteante, gostoso, calmo, profundo, absolutamente profundo, terno, carinhoso, amante, em segredo.... meu maior SEGREDO.

... então, agora neste instante, quero te dar. QUERO TE DAR, o BEIJO NA TUA BOCA.

... me acena esta vontade: estou de costas, vc me chama, eu me viro, e te encaro. ENCANTO.

Eu me vejo nos teus olhos, vc me vê nos meus... É SÓ ESTE O MOMENTO, ENTRE TODOS OS DEMAIS, DE UMA VIDA TODA.

... O BEIJO QUE EU TE DOU.

... o primeiro beijo entre um homem e uma mulher, só é possível porque não dá mais pra fugir disto: um no outro.

... olhar pra dentro de si, e sentir. O que sentes??! Sinto amor, alegria, o prazer de te ver, te escutar, imaginar vc ao meu lado.

... O BEIJO QUE EU TE DOU, É FEITO DE AMOR.

.... Mais ao lado, quando isto não acontece, quando isto não vem.... porque pensamos que passamos, e não existimos mais, ou ignoramos o amor nas horas reais da rotina.

...as horas reais da rotina, sempre escondem as MAIORES VERDADES, OS MELHORES MOMENTOS, a JURA SECRETA.

... e ai, o expediente acabou, sentado no carro, parado no sinal, vc olha o retrovisor, e nada. Nada além das esquinas, e o seu carro leva mais além de vc, a TUA ESTRADA.

... a viajem, a companheira da soldião.

... EU NÃO VIVO SEM ESSE BEIJO.

... Na minha emoção, na minha vontade, dentro da minha alegria, este beijo sempre VIVE.

... mas eu só posso chegar a ele, todos os dias, todas as noites, através de você. É só através de você que posso chegar a ele.

....O BEIJO QUE VIVE EM MIM, só existe por tua causa, depende da tua vontade, do teu querer.

... as vezes esse beijo é substituído por uma palavra, por um cigarro, por um gole de qualquer coisa, mas passa... e está ali outra vez, o BEIJO QUE EU NÃO TE DEI.

... sempre estará ali, aqui, em todos os lugares.

... o coração abre por dentro, não por fora.

.... em todo coração, porque é coração, mora a paixão e o amor. NÓS DOIS.

... UM SÓ E MESMO CORAÇÃO, onde é possível sim sentir o que o outro sente, sorrir ao mesmo tempo, olhar ao mesmo tempo, dizer ao mesmo tempo, quando eu te toco.

... ao mesmo tempo, a minha mão vai de encontro ao seu rosto, e me traz os teus traços. Os meus olhos não fogem dos seus, e a minha boca te procura.

... PORQUE TODO O BEIJO CARREGA ISSO: ETERNO.

... não estou falando dos beijos vadios, fugitivos, esquecidos.....

... estou falando DO BEIJO QUE NÃO TE DEI.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

IMPROVISO 6 - Denise França

IMPROVISO 6

PERDI O QUINTO IMPROVISO, SEM QUERER. FOI DELETADO SEM O MEU CONSENTIMENTO.

o improviso 5, o mais fecundo de todos.

Porra, o sexto, já está feito, e dito e escrito, sexto.

COMO ANO BISSEXTO.

Mantenho distância por respeito, e minha resposta não é nenhuma vontade de achar ou encontrar facilidades na minha vida.

VIDA. A vida vem inesperadamente com o sorriso ao lado.

Se o meu sorriso brota, nos teus lábios quero nascer. Pronto, fiz.

IMPROVISO. Sem nata, no sentido nato da palavra, sem nojo. Como quando a gente diz: a NATA DA SOCIEDADE.

Ou pior ainda, a NATA DA SOCIEDADE ESTÁ NO FACEBOOK.

IMPROVISO.

ATO. NÃO QUERO ME RECUPERAR DE VOCÊ, SEJA ATRAVÉS DA FALTA, OU DA AUSÊNCIA.

QUERO. O TEU CORPO ME CAUSOU DESEJO.

sempre ESPERO.

vejo passando uma notícia....

um album, uma pétala segmentada de oferecimento.

HOMEM E MULHER.

IMPROVISO MELHOR NÃO HÁ.

IMPROVISO 3 - Denise França

IMPROVISO 3

... nos meandros da REALIDADE, caminho, e aos poucos, como pedras, tropeço na variedade de realidades, como na variedade de pessoas.

...Mas, a minha realidade não suporta ser assim tão concreta e absoluta como a miséria, a violência, a tristeza.

... a minha realidade é simples, marginalmente simples como a grama, como o tronco, como o meio fio, como um pedaço de qualquer lugar, como querer ficar para sempre.

... a minha realidade é verdadeiramente o meu espírito. Não me acostumo nunca com a falta de amor, nem com o dinheiro que passa entre as gentes num cortejo de créditos e poder.

... verdadeiramente meu espirito é amor, e verdadeiramente o amor para alguém.

... minha solidão não é oportunista, e nem vem sozinha, ela habita aquele silêncio maior, o silêncio de quem escuta.

... escuto vc, na tua necessidade, na tua vontade, no teu querer.

... e continuo a andar, aparecem pássaros nesta estrada, e perto de ti quero ficar, tocar assim, suavemente, com os meus lábios, tua boca.

e aceitar, sempre, o viés. a verdade habitando o poema, é muito mais do que a pedra, do que o galho, do que o asfalto...

IMPROVISO 2 - Denise França

IMPROVISO 2

Habitas minha alma, todos os dias.

Se eu pudesse saber com que nome te chamar. Mas não posso, porque é bem maior o sentido e bem maior o espaço que me tomas.

E me tomas, como se a sua mão de repente tocasse o meu ombro, e vc me puxasse para junto do seu corpo, e causasse toda essa paixão, inesperadamente.

Acordo e acordo, ao lado das manhãs, minha alma já não é mais o meu começo, e nem o meu fim, tem intervalos da tua voz, teu sorriso, meu nome em tua boca. Caio na real, me levanto, não adianta. Me vem uma profunda irritação, não quero vc dentro de mim. Você permanece no entanto.

Lado, do outro lado, asas de anjo, olhos secretos, segredo.Fito os teus olhos, fico em silêncio. Sinto o teu abraço.

Todas as sensações, tuas, descrevem o que sinto. Quase chego a ser um sinônimo de mim mesma.

Alma minha. O significado mais próximo da tua presença, alma minha.

Não dá para deixar de te amar. Inexplicavelmente.

IMPROVISO DE SÁBADO À NOITE - Denise França

Sábado, 6 de agosto de 2011 às 20:33

O sábado já é passado. A noite está quente. Todas as horas de hoje são mais fortes do que as de ontem, porque é passado. Imediatamente, a lua está acima de mim, e eu me abrigando neste ponto, sonho que fui, só o meu desejo alcanço.

Escuto o teu direito, vejo quase a mesma metade, olho meus olhos no espelho, não sei tirar vc de mim. E sábado é passado.

Quem? Aonde?

Escuto o teu avesso, irritado, absurdo mover o que é. E as horas de ontem caem perfeitamente nas mesmas horas de hoje, mas hoje tem outro nome.

Aceitei tanto me comover com esta inspiração nascida da falta, da tua falta. Não obstante, olhando todos os demais, aonde está o teu sorriso?

Não me afundo, mas quanta tristeza tem nascido em mim ultimamente, disso que não sei nomear, sequer encontrei um significado. Ao longo das horas, quero tanto, tanto, tanto definir, e já foi, o sábado não é mais o mesmo.

Talvez venha o domingo, e com ele, alguma coisa perdida deste dia...

domingo, 31 de julho de 2011

AS FOLHAS SECAS - DENISE FRANÇA

DOMINGO E SÁBADO DE CHUVA...

Curitiba, cidade, imagino uma cidade no lugar de Curitiba, eu tiraria surpresa a chuva, talvez colocasse a neblina, seres taciturnos continuariam passeando nas ruas, e as ruas seriam fundas e quase com o limo de rotas particulares.

... o sábado, um dia de recados, de encontros, talvez o dia da amizade.
... o domingo, dia da família.

AS FOLHAS SECAS

... não me surpreendo mais, com o mesmo modo, e tão caro modo dos dias. Muitos anos, foram 46 anos.

ultimamente, quanta tristeza tem se aproximado da minha vida. Penso se a tristeza é minha, como poderia o amor me devolver tristeza?!

... como poderia a verdade de uma amizade, a solidão me devolver?!

... não quero esse tipo de devolução.

tenho visto e revisto todas as folhas deste livro,
olhei nos teus olhos, e dei amor,
ternura, palavras raras que avaliassem a sua dor
e a pudessem amenizar.

escolhi autenticidade em todos os momentos,
não julguei, aceitei.

mas, a simples vida, a simples vida, tem sofrido e chorado.

... muitas folhas secas recolhi, de fato e de verdade.
... esquecimento, lapso, o ser-humano me torna cançada,
triste, sem vontade.

...não é por causa da chuva, mas é uma dor.
sem nome.