Pesquisar este blog

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

IMPROVISO 6 - Denise França

IMPROVISO 6

PERDI O QUINTO IMPROVISO, SEM QUERER. FOI DELETADO SEM O MEU CONSENTIMENTO.

o improviso 5, o mais fecundo de todos.

Porra, o sexto, já está feito, e dito e escrito, sexto.

COMO ANO BISSEXTO.

Mantenho distância por respeito, e minha resposta não é nenhuma vontade de achar ou encontrar facilidades na minha vida.

VIDA. A vida vem inesperadamente com o sorriso ao lado.

Se o meu sorriso brota, nos teus lábios quero nascer. Pronto, fiz.

IMPROVISO. Sem nata, no sentido nato da palavra, sem nojo. Como quando a gente diz: a NATA DA SOCIEDADE.

Ou pior ainda, a NATA DA SOCIEDADE ESTÁ NO FACEBOOK.

IMPROVISO.

ATO. NÃO QUERO ME RECUPERAR DE VOCÊ, SEJA ATRAVÉS DA FALTA, OU DA AUSÊNCIA.

QUERO. O TEU CORPO ME CAUSOU DESEJO.

sempre ESPERO.

vejo passando uma notícia....

um album, uma pétala segmentada de oferecimento.

HOMEM E MULHER.

IMPROVISO MELHOR NÃO HÁ.

IMPROVISO 3 - Denise França

IMPROVISO 3

... nos meandros da REALIDADE, caminho, e aos poucos, como pedras, tropeço na variedade de realidades, como na variedade de pessoas.

...Mas, a minha realidade não suporta ser assim tão concreta e absoluta como a miséria, a violência, a tristeza.

... a minha realidade é simples, marginalmente simples como a grama, como o tronco, como o meio fio, como um pedaço de qualquer lugar, como querer ficar para sempre.

... a minha realidade é verdadeiramente o meu espírito. Não me acostumo nunca com a falta de amor, nem com o dinheiro que passa entre as gentes num cortejo de créditos e poder.

... verdadeiramente meu espirito é amor, e verdadeiramente o amor para alguém.

... minha solidão não é oportunista, e nem vem sozinha, ela habita aquele silêncio maior, o silêncio de quem escuta.

... escuto vc, na tua necessidade, na tua vontade, no teu querer.

... e continuo a andar, aparecem pássaros nesta estrada, e perto de ti quero ficar, tocar assim, suavemente, com os meus lábios, tua boca.

e aceitar, sempre, o viés. a verdade habitando o poema, é muito mais do que a pedra, do que o galho, do que o asfalto...

IMPROVISO 2 - Denise França

IMPROVISO 2

Habitas minha alma, todos os dias.

Se eu pudesse saber com que nome te chamar. Mas não posso, porque é bem maior o sentido e bem maior o espaço que me tomas.

E me tomas, como se a sua mão de repente tocasse o meu ombro, e vc me puxasse para junto do seu corpo, e causasse toda essa paixão, inesperadamente.

Acordo e acordo, ao lado das manhãs, minha alma já não é mais o meu começo, e nem o meu fim, tem intervalos da tua voz, teu sorriso, meu nome em tua boca. Caio na real, me levanto, não adianta. Me vem uma profunda irritação, não quero vc dentro de mim. Você permanece no entanto.

Lado, do outro lado, asas de anjo, olhos secretos, segredo.Fito os teus olhos, fico em silêncio. Sinto o teu abraço.

Todas as sensações, tuas, descrevem o que sinto. Quase chego a ser um sinônimo de mim mesma.

Alma minha. O significado mais próximo da tua presença, alma minha.

Não dá para deixar de te amar. Inexplicavelmente.

IMPROVISO DE SÁBADO À NOITE - Denise França

Sábado, 6 de agosto de 2011 às 20:33

O sábado já é passado. A noite está quente. Todas as horas de hoje são mais fortes do que as de ontem, porque é passado. Imediatamente, a lua está acima de mim, e eu me abrigando neste ponto, sonho que fui, só o meu desejo alcanço.

Escuto o teu direito, vejo quase a mesma metade, olho meus olhos no espelho, não sei tirar vc de mim. E sábado é passado.

Quem? Aonde?

Escuto o teu avesso, irritado, absurdo mover o que é. E as horas de ontem caem perfeitamente nas mesmas horas de hoje, mas hoje tem outro nome.

Aceitei tanto me comover com esta inspiração nascida da falta, da tua falta. Não obstante, olhando todos os demais, aonde está o teu sorriso?

Não me afundo, mas quanta tristeza tem nascido em mim ultimamente, disso que não sei nomear, sequer encontrei um significado. Ao longo das horas, quero tanto, tanto, tanto definir, e já foi, o sábado não é mais o mesmo.

Talvez venha o domingo, e com ele, alguma coisa perdida deste dia...