Pesquisar este blog

sexta-feira, 6 de março de 2015

TRECHO - DENISE FRANÇA

CURITIBA, 05 DE FEVEREIRO DE 2015.

PRODUÇÃO DE TEXTO: PROFESSOR OTTO
PUC - PR


O TEMPO, O VENTO E UM AMOR QUE NÃO TEM JEITO

TRECHO

No bagaço das horas, a BR projeta quinhões de luzes, faróis sobre o meu destino.
Existe um trecho feito em hora anunciada.

Anonimamente parto, outros destinos vão de encontro ao meu,
transitam ramificadas nesta BR, as várias naturezas do Adeus.

Onde acabo de chegar, atravesso, perpasso o naco e o tabaco
do outro.
Estes sonhos teus manifestam rancor.
Incredulidade.
Te reconheço como um visitante noturno,
frio e voltado à indiferença,
ou diurno capaz na necessidade
deste desejo feito rio assoreado
em sobras,
cada mulher....

Cidade ausente,
vila ou princípio de memória,
nessa estrada que me cabe,
onde tanto é mais,
um fato contado,
desfeito e dado ao desfrute.

O claro desaparecimento
e assiduidade à mesmice,
me declaro com a ausência
de quem parte.


DENISE FRANÇA