Pesquisar este blog

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

BLACK FRIDAY - DENISE FRANÇA


Curitiba, 29 de novembro de 2013.




Exatamente assim: estava assistindo televisão ontem, enquanto costurava. E de repente eu vi com os meus próprios olhos que a terra há de comer:



BLACK FRIDAY



E aí eu pensei, é o meu grande dia!, não consigo mais nem enviar emails pelo meu notebook, vou pesquisar e achar um outro e comprar a prestação... Suaves prestações mensais... Ora bolas, metade do preço!!!!

Acordei hoje cedo, sexta-feira, fiz o que sempre faço, limpei a casa toda, a calçada, etc e tal. e chamei por minha mãe:

- A senhora viu ontem na televisão?! Tudo pela metade do preço?!

E ela disse, com seus 79 anos de idade:

- Vi, o quê?!

E eu retruquei:

- Pois é, eu estava pensando, ia guardar dinheiro e comprar um notebook no início do ano, mas, dava pra gente ir até lá, usar o cartão de crédito e aproveitar esse preço barato, e eu pago por mês daí...

Ela disse:

- Tá bom, é dá, vou falar com teu pai.



Ela foi falar com o meu pai. Todos nós começamos a nos arrumar para esse grande dia:



BLACK FRIDAY



E, eu abri o portão do carro, minha mãe e o meu pai, dirigindo, eu atrás.... Ele ficou reclamando o tempo todo, até chegar ao CARREFOUR.

Estacionou o carro, na vaga para IDOSOS.

Ao lado da vaga, numa tabuleta, já como o prenúncio e sinais dos tempos estava escrito:



"NOTEBOOK, R$ 758 REAIS á VISTA, ou em 20 PRESTAÇÕES SEM JUROS!!!!!!"



Eu pensei: "Nossa!!!!!"

Papai Noel Existe! Eu peguei no braço de minha mãe, de 80 anos de idade, e entramos pela porta.... Correndo.... E já ali, estava o NOTEBOOK CCE, nesta valor. Nossa!!!! MInha mãe, chamou a moçinha, e disse:

- A senhora podia atender... Eu queria esse aqui.

- A minha mãe queria aquele ali...

E meu pai:

- É esse mesmo.



A moçinha disse:

- Me acompanhem.... E aí chegamos junto com ela ao SISTEMA.

A moçinha disse;

- O senhor já é cliente aqui?!

Meu pai disse:

- A vida toda...

Minha mãe certificou:

- A vida toda a gente compra aqui.

A moçinha revidou:

- O senhor tem cartão de crédito.

Meu pai disse;

- Sei. Não sei. Acho que sim.... E começou a procurar os documentos... E achou o CARTÃO DO CARREFOUR!



TODOS NÓS JUNTOS DISSEMOS:

- OH!!!! Está aqui o cartão.



A moçinha consultou o SISTEMA E O SISTEMA DISSE:



- CARTÃO DE CRÉDITO DO CARREFOUR VENCIDO!



A moçinha olhou para nós e disse:

- Seu cartão está vencido! Mas não tem problema, o senhor se dirija até o balcão e renova o cartão e depois me chama de novo. Meu nome é........

Então tá. Fomos até o balcão do cartão de crédito e a outra moçinha que estava atendendo olhou os velhinhos e disse:

- O senhor e a senhora podem se sentar ali....

Foi um convite delicado.

Disse ao meu pai:

- Sente, não espera em pé.

Minha mãe orgulhosa já tinha se sentado.

O rapaz que a moçinha estava atendendo, foi embora e a moçinha nos olhou e disse:

- Podem se sentar aqui....

E aí, os dois velhinhos levantaram e se sentaram novamente no outro balcão.



A mocinha pediu o cartão de crédito vencido! Pediu o CPF do meu pai.

A mocinha consultou o SISTEMA.

O SISTEMA DISSE:

SÓ PODE RENOVAR DAQUI A UMA SEMANA!



E aí, diante disso, todos nós nos entreolhamos e ficamos tristes, perdemos a esperança.



A moçinha então teve um ato de coragem: olhou para a minha mãe e perguntou:



- A senhora é aposentada?!

- Minha mãe ficou quieta, ensimesmada. Será que respondia o quê?!

Eu disse:

- Não. Ela trabalhou em casa a vida toda.



A moçinha olhou pra mim e perguntou:

- E a senhora????



Eu fiquei ensimesmada do mesmo jeito. SERÁ QUE RESPONDIA O QUÊ?!



DISSE VERDADEIRAMENTE:

- EU TRABALHO EM CASA!



E moçinha retrucou:

- Trabalha aonde, no quê?!



- Em casa! Todos responderam.



A moçinha finalmente teve a coragem de dizer:

- Então não dá pra fazer o cartão...



E nós nos entreolhamos. Eu disse:

- Está bem. A gente procura outro lugar....

Agradeci.



Saímos, eu, meu pai, e minha mãe......



FOMOS EMBORA....



A SENHORA É APOSENTADA?!



TRABALHO EM CASA!





0 sistema falhou....





O sistema não avalia o caráter de ninguém! O sistema não pode medir o sacrifício de uma pessoa no decorrer da vida.... O sistema exclui pessoas que na verdade pegam no pesado...



Eu não faço parte do SISTEMA!!!!





A senhora trabalha aonde:



- EU TRABALHO NA COMPANHIA DE JESUS! e.... FAÇO TEATRO!



Há quantos anos a senhora trabalha nesta empresa?!



- DESDE SEMPRE!



Qual é o nome do seu patrão?



- DEUS!!!



Qual é o seu salário?



- Nenhum! Eu nunca cobrei pelas coisas que fiz.... Faço DE GRAÇA!!!!



A senhora se aposenta quando?



- NUNCA! Eu trabalho assim toda vida... E depois também...



A senhora tem algum fiador?



- Sim! É claro que sim: SÃO FRANCISCO DE ASSIS. Eu vivo cercada de bichos e da natureza....



A sua mãe é quem mesmo?!



- Minha mãe é a AVOGRADA DE CRISTO!



Então tá. TENHA FÉ QUE TUDO VAI DAR CERTO!



O SISTEMA RESPONDE:



- INFELIZMENTE NÃO VAI SER POSSÍVEL FAZER O CREDIÁRIO EM 20 PRESTAÇÕES MENSAIS, DE UM NOTEBOOK NO VALOR DE R$ 800,00.... SINTO MUITO.



Para quê mesmo a senhora ia usar o NOTEBOOK?!



- PARA COMPARTILHAR MENSAGENS DE AMOR.....





BLACK FRIDAY!!!





segunda-feira, 11 de novembro de 2013

O RARO PRAZER - DENISE FRANÇA

CURITIBA, 10 DE NOVEMBRO DE 2013.

O prazer, quando tocamos neste assunto, imaginamos uma longa lista de suposições em torno daquilo que nos oferece prazer. Neste mundo, pensamos a sensação do prazer a algo recebido, algo concreto vindo do exterior.
Os órgãos dos sentidos: o olhar, o olfacto, a audição, o paladar, enfim.... As sensações, os sensores e as informações que nos chegam. Recebemos o mundo externo 24hs por dia em contingentes maciços de informação. Assimilamos bem pouco do que recebemos. E clonamos informações de terceiros, sem análise ou crítica a respeito, sem observação, sem assimilação e de-codificação disto tudo.
Na maioria das vezes, o prazer é  imediato, como o sabor de uma torta, a posse de um objecto do desejo. Logo em seguida, nosso aparelho sensorial passa a procurar outra coisa.

Outros prazeres, mais elaborados, podem ser os do espírito: ler um livro, e ter a satisfação de imaginar as situações, os acontecimentos, vivenciar mentalmente aquele universo. Conseguir desenvencilhar problemas de natureza científica, entender e manusear conceitos, nos dá imenso prazer.

Outros prazeres, a meditação, onde tocamos espaços dentro de nós mesmos, inimagináveis. Apreciar a música, escutar, sentir, entender o som, a melodia, a interpretação do artista.  Todos esses meandros da criação, da arte, nos trazem prazer...

Desde o mais superficial ao mais elaborado, quase todas as pessoas entendem e sabem o que é o prazer.

O desprazer é a sensação proveniente da frustração, da privação, da irritação. Por ausência do que provoca o prazer, ou por excesso deste elemento.

Nos submetemos a várias informações que contém duplo sentido, contrariedades, e que nos causam ansiedade ou repugnância, ou angustia. Porque o nosso aparelho sensor não consegue assimilar aquela informação, e nem nós nos posicionarmos quanto aquilo que sentimos.

Existem elementos de uma sutileza tal que, ao passarem despercebidos, nos colocam do outro lado, a entender o bom como estranho, e o ruim como bom. Infelizmente, hoje em dia, essas informações de dúbio sentido conseguem sabotar e passar por esse filtro interior. De forma imediata se organizam e se acumulam em nossas vidas.

Aos poucos passamos a aceitar inadvertidamente uma série de coisas que não nos fazem bem, como próprias, como pessoais.